Premium e-Toupeira deixa a marca Benfica "doente" e adeptos preocupados

O especialista Carlos Coelho considera que foram atacados os princípios básicos da marca Benfica e fala do impacto nos patrocinadores. Telmo Correia diz que adeptos estão apreensivos mas que não vão desmobilizar.

A SAD do Benfica viveu nesta semana o momento mais turbulento dos seus 18 anos de existência, com a acusação que foi deduzida pelo Ministério Público no âmbito do e-Toupeira, relativo a alegadas fugas de informação judicial protagonizadas pelo assessor jurídico Paulo Gonçalves. Trata-se de algo inédito no desporto português, que coloca a sociedade encarnada numa situação de fragilidade no mercado, com impacto imediato no valor da marca e efeitos imprevisíveis no futuro.

É pelo menos essa a ideia expressa ao DN por Carlos Coelho, presidente da Ivity Brand Corp, agência especialista em criação e gestão de marcas. "Este caso tem um impacto muito grande na marca Benfica, pois os fatores de desvalorização têm origem em situações que afetam os seus níveis mais profundos", começa por explicar, fazendo uma analogia curiosa que serve para explicar as consequências do caso: "Imaginem o tronco de uma árvore. A parte do sentimento clubístico situa-se na camada exterior do tronco, enquanto na zona central, a mais protegida, estão os princípios básicos de dignidade humana, honestidade e desporto no sentido nobre do termo."

Ler mais

Exclusivos

Premium

Daniel Deusdado

Estou a torcer por Rio apesar do teimoso Rui

Meu Deus, eu, de esquerda, e só me faltava esta: sofrer pelo PSD... É um problema que se agrava. Antigamente confrontava-me com a fria ministra das Finanças, Manuela Ferreira Leite, e agora vejo a clarividente e humana comentadora Manuela Ferreira Leite... Pacheco Pereira, um herói na cruzada anti-Sócrates, a voz mais clarividente sobre a tragédia da troika passista... tornou-se uma bússola! Quanto não desejei que Rangel tivesse ganho a Passos naquele congresso trágico para o país?!... Pudesse eu escolher para líder a seguir a Rio, apostava tudo em Moreira da Silva ou José Eduardo Martins... O PSD tomou conta dos meus pesadelos! Precisarei de ajuda...?

Premium

arménios na síria

Tempo de fugir de casa para regressar à terra

Em 1915, no Império Otomano, tiveram início os acontecimentos que ficariam conhecidos como o genocídio arménio. Ainda hoje as duas nações continuam de costas voltadas, em grande parte porque a Turquia não reconhece que tenha havido uma matança sistemática. Muitas famílias procuraram então refúgio na Síria. Agora, devido à guerra civil que começou em 2011, os netos daqueles que fugiram voltam a deixar tudo para trás.