Lakers a uma vitória do título para dedicar à lenda Kobe Bryant

Se vencer neste sábado os Miami Heat, a equipa de Los Angeles alcança os Boston no número de títulos da NBA, no ano da morte de um dos seus símbolos. LeBron tenta iniciar uma dinastia e entrar (mais uma vez) na história.

Dez anos depois, os Los Angeles Lakers podem celebrar na madrugada deste sábado (02.00, SportTV) o seu 17.º título de campeão da NBA, alcançando os Boston Celtics como equipa que mais anéis de campeão conquistou na história. Para isso basta vencer os Miami Heat no quinto jogo da final que se tem realizado na Disney, em Orlando, onde foi criada a bolha da liga para fazer face à pandemia de covid-19 e, assim, garantir que a temporada chegava ao final.

Lakers e Heat são os últimos resistentes, tendo vencido as respetivas conferências com autoridade e evidente superioridade. Nos playoffs da Conferência Oeste, a equipa de Los Angeles eliminou Portland Trail Blazers, Houston Rockets e Denver Nuggets, sempre por 4-1, enquanto na Conferência Este os Miami deixaram pelo caminho Indiana Pacers (4-0), Milwaukee Bucks (4-1) e Boston Celtics (4-2).

A equipa da Califórnia tem contado com a boa forma das duas maiores estrelas, LeBron James e Anthony Davis, mas também com as contribuições preciosas de Caldwell-Pope, Rajon Rondo e Danny Green, e apenas não conseguiu superiorizar-se aos Miami Heat no jogo 3, precisamente quando a formação do Este jogou sem Bam Adebayo e Goran Dragic, duas das suas principais estrelas, mas beneficiou da grande exibição de Jimmy Butler, que fez um triplo duplo (40 pontos, 11 ressaltos e 13 assistências).

O jogo da madrugada deste sábado poderá, em caso de vitória dos Lakers, marcar o início da era LeBron James na famosa equipa de Los Angeles, sucedendo à mítica equipa liderada por Kobe Bryant que há dez anos fechou um ciclo de cinco títulos. Seria pois o regresso aos títulos, precisamente no ano da morte de um dos maiores símbolos da equipa: Kobe Bryant, que morreu aos 41 anos num acidente de helicóptero, no dia 26 de janeiro. Uma bonita forma de LeBron James homenagear o amigo, por quem chorou convulsivamente, na cerimónia de homenagem após a sua morte.

Os Lakers foram a primeira equipa da história a sagrar-se campeã da NBA em 1949, iniciando uma dinastia com cinco títulos em seis anos, na qual brilhava George Mikan. Depois de um títulos em 1971 com o brilho de Wilt Chamberlain, os Lakers voltaram a dominar a NBA no início da década de 1980, com uma formação em que Magic Johnson e Karim Abdul-Jabbar eram reis e ajudaram à conquista de cinco anéis de campeões. A chamada terceira dinastia coincidiu com a ascensão de Kobe Bryant no início deste século, tendo liderado uma equipa que conquistou mais cinco campeonatos em dez anos. Agora, é a vez de LeBron afirmar-se como uma das lendas dos Lakers, embora aos 35 anos já não lhe reste muito tempo para implantar a sua dinastia.

Em caso de triunfo, este será um título muito especial para LeBron James por homenagear Kobe Bryant, mas também porque passa a figurar no lote de jogadores campeões por três equipas diferentes. Neste momento, apenas dois basquetebolistas podem orgulhar-se desse feito, são eles Robert Horry, que venceu o campeonato por Houston Rockets (1994 e 1995), LA Lakers (2000, 2001 e 2002) e San Antonio Spurs (2005 e 2007); e John Salley, que recebeu o primeiro anel de campeão jogando nos Chicago Bulls de Michael Jordan (1996), Detroit Pistons (1989 e 1990) e LA Lakers (2000).

LeBron James procura o seu quarto título de campeão, depois de o ter conseguido nos Cleveland Cavaliers (2016) e nos Miami Heat (2012 e 2013). Mas a verdade é que há outro jogador dos Lakers na iminência de se juntar a este lote restrito: trata-se de Danny Green, que venceu ao serviço dos San Antonio Spurs em 2014 e na época passada pelos Toronto Raptors. Aliás, este extremo pode ser o quarto da história da NBA a ser campeão em dois anos consecutivos por equipas diferentes, juntando-se a Pep Saul (Rochester Royals em 1951 e Minneapolis Lakers em 1952), Steve Kerr (Chicago Bulls em 1998 e San Antonio Spurs em 1999) e Patrick McCaw (Golden State Warriors em 2018 e Toronto Raptors em 2019).

A tarefa dos Miami Heat não é fácil, pois estão obrigados a vencer os três jogos que faltam para completar a final e garantirem o quarto anel de campeão da sua história. Neste momento, perdem por 3-1 e não têm margem de erro. Contudo, são várias as histórias de superação na NBA, e uma delas não foi há muito tempo. Em 2016, os Golden State Warriors defendiam o título e venciam, precisamente por 3-1, na final com Cleveland Cavaliers de... LeBron James.

Os Warriors tinham dominado a fase regular com apenas nove derrotas concedidas e apresentavam uma superequipa com Stephen Curry, Draymond Green, Klay Thompson, Shaun Livingston ou Andre Iguodala, atualmente nos... Miami Heat. Poucos seriam aqueles que apostavam noutro desfecho que não fosse o triunfo dos Warriors, depois de chegarem a 3-1. Mas aconteceu o impensável.

Os Cavs venceram os três jogos que restavam, com LeBron James a fazer 41 pontos nos jogos 5 e 6, ficando-se pelos 27 na última partida embora contribuindo para um triunfo pela diferença de quatro pontos (93-89). É este pequeno milagre que os Miami Heat estão obrigados a fazer para festejarem a conquista do título de campeão, que alcançaram pela primeira vez em 2006 sob o comando do histórico Dwyane Wade (MVP), aos quais acrescentaram o bicampeonato de 2012 e 2013 com LeBron James como melhor jogador das finais.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG