Premium Mariana e Carolina vão a Lisboa: a aventura das gémeas brasileiras no país das "baleias"

As gémeas conheceram a cidade do pai pela primeira vez. Encantaram-se com palavras novas, castelos e coches de verdadeiras princesas. Não gostaram das beatas, nem do nevoeiro.

"Eu sei: é baleia!", responde, confiante, Carolina, à pergunta do pai, antecipando-se a Mariana, a irmã gémea 20 segundos mais velha. Mas perante o riso do inquiridor, a confiança esfuma-se e logo se transforma numa expressão de inquietação por sentir ter, afinal, errado. A pergunta tinha sido "alguém sabe como se diz "carona" em português de Portugal?".

Como sempre, as diferenças entre portugueses e brasileiros começam por notar-se naquilo que supostamente mais os une, a língua. E ao longo de uma visita de dez dias a Lisboa, a cidade onde o pai delas nasceu e a mãe, natural do Brasil, morou por onze anos, o encantamento das duas crianças nascidas há sete anos no "novo mundo" começou, inevitavelmente, pelas palavras. ""Giro" é a palavra mais "legal"", diz uma. A outra inverte: "O mais "legal" é a palavra "giro"." Mas nesta espécie de viagem de Pedro Álvares Cabral ao contrário, Mariana e Carolina hão de encantar-se com muito mais do que jogos de palavras.

Ler mais

Exclusivos