Premium Ensino superior. PSD propõe carreira única de docência e investigação

Os sociais-democratas avançam nesta quarta-feira com as propostas para o ensino superior. Defendem uma carreira única para docentes e investigadores, o reforço da autonomia das instituições e um novo modelo de financiamento, mais residências universitárias e o aumento das bolsas de estudo.

É "uma estratégia para a década" que o PSD propõe nesta quarta-feira para o ensino superior. Os sociais-democratas defendem uma carreira única de docência e investigação, como peça fundamental na luta contra a precariedade, na promoção do emprego científico e a na renovação geracional das instituições.

O documento elaborado pelo conselho estratégico do partido, e coordenado pela antiga ministra do Ensino Superior Graça Carvalho, defende também um novo modelo de financiamento das instituições deste grau de ensino. É preconizada a elaboração de um plano nacional abrangente e consensualizado entre os parceiros para o ensino superior, a ciência e a inovação. É proposta a criação de um programa-quadro plurianual, estável e transparente, com prioridades, níveis de financiamento e metas bem definidas.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

O relatório do Conselho de Segurança

A Carta das Nações Unidas estabelece uma distinção entre a força do poder e o poder da palavra, em que o primeiro tem visibilidade na organização e competências do Conselho de Segurança, que toma decisões obrigatórias, e o segundo na Assembleia Geral que sobretudo vota orientações. Tem acontecido, e ganhou visibilidade no ano findo, que o secretário-geral, como mais alto funcionário da ONU e intervenções nas reuniões de todos os Conselhos, é muitas vezes a única voz que exprime o pensamento da organização sobre as questões mundiais, a chamar as atenções dos jovens e organizações internacionais, públicas e privadas, para a necessidade de fortalecer ou impedir a debilidade das intervenções sustentadoras dos objetivos da ONU.