Premium Como encaixar Pepe neste FC Porto? Solução deve passar por... Militão

Antigos jogadores portistas Pedro Henriques e António Sousa acreditam que a contratação do internacional português pode mover o brasileiro para uma posição que não lhe é estranha, a de lateral-direito.

Felipe e Éder Militão constituem a dupla de centrais da defesa menos batida da I Liga - dez golos sofridos, dos quais apenas quatro com ambos em campo, em 12 jogos - e aquela que, para muitos, é mesmo a melhor a atuar em Portugal. No entanto, uma oportunidade de mercado e a vontade do jogador trouxeram um peso-pesado para fazer concorrência aos dois brasileiros no eixo defensivo do FC Porto: Pepe.

Terá o internacional português de 35 anos dificuldades em entrar no onze ou Sérgio Conceição irá desfazer o duo que tão bem tem funcionado? "Pepe não terá nenhuma dificuldade em entrar diretamente no onze. Não acho que o Felipe nem o Militão sejam melhores do que o Pepe. Pela melhor ordem, Pepe e Militão são melhores do que o Felipe. O Pepe, à partida, vem para jogar, devido ao salário, mas isso vale o que vale", começou por frisar ao DN o antigo lateral esquerdo Pedro Henriques, que esteve vinculado aos dragões em 1997.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

O relatório do Conselho de Segurança

A Carta das Nações Unidas estabelece uma distinção entre a força do poder e o poder da palavra, em que o primeiro tem visibilidade na organização e competências do Conselho de Segurança, que toma decisões obrigatórias, e o segundo na Assembleia Geral que sobretudo vota orientações. Tem acontecido, e ganhou visibilidade no ano findo, que o secretário-geral, como mais alto funcionário da ONU e intervenções nas reuniões de todos os Conselhos, é muitas vezes a única voz que exprime o pensamento da organização sobre as questões mundiais, a chamar as atenções dos jovens e organizações internacionais, públicas e privadas, para a necessidade de fortalecer ou impedir a debilidade das intervenções sustentadoras dos objetivos da ONU.