Premium Venezuela: Guerra Fria é mais económica do que ideológica

Os apoios internacionais ao presidente venezuelano, Nicolás Maduro, e ao líder da Assembleia Nacional e presidente interino, Juan Guaidó.

Não é coincidência que Rússia e China, os dois maiores credores da Venezuela, sejam os principais apoiantes internacionais do presidente Nicolás Maduro, criticando a ingerência dos EUA e o apoio que estes deram ao líder da Assembleia Nacional, Juan Guaidó, após este se declarar presidente interino.

Em risco está todo o investimento que fizeram nos últimos anos na Venezuela, assim como o pagamento dos empréstimos a troco de petróleo que começaram ainda no tempo de Hugo Chávez. Sabendo isso, Guaidó tem procurado dar garantias aos credores de que a Venezuela cumpriria com as suas obrigações.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Pedro Lains

O Banco de Portugal está preso a uma história que tem de reconhecer para mudar

Tem custado ao Banco de Portugal adaptar-se ao quadro institucional decorrente da criação do euro. A melhor prova disso é a fraca capacidade de intervir no ordenamento do sistema bancário nacional. As necessárias decisões acontecem quase sempre tarde, de forma pouco consistente e com escasso escrutínio público. Como se pode alterar esta situação, dentro dos limites impostos pelas regras da zona euro, em que os bancos centrais nacionais respondem sobretudo ao BCE? A resposta é difícil, mas ajuda compreender e reconhecer melhor o problema.