Premium A violência doméstica mata

Desde o início de 2019, a violência doméstica já matou dez mulheres. Ou seja, dez mulheres nos primeiros 38 dias do ano. Números que impressionam, ainda mais, quando comparados com outras realidades: atendendo aos dados disponibilizados, proporcionalmente, morreram mais mulheres em Portugal, até agora, do que no Brasil. Quando comparado com Espanha, o número, até ao momento, é de oito mulheres mortas num país com, aproximadamente, o quádruplo dos habitantes.

Curiosamente, no mês de janeiro foi publicado um relatório em que, apesar de se realçar a evolução de Portugal no combate à violência doméstica, são deixados alguns alertas preocupantes: entre as recomendações efetuadas, 15 são relativas a áreas em que "é preciso uma atuação imediata", isto é, urgente.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Pedro Lains

O Banco de Portugal está preso a uma história que tem de reconhecer para mudar

Tem custado ao Banco de Portugal adaptar-se ao quadro institucional decorrente da criação do euro. A melhor prova disso é a fraca capacidade de intervir no ordenamento do sistema bancário nacional. As necessárias decisões acontecem quase sempre tarde, de forma pouco consistente e com escasso escrutínio público. Como se pode alterar esta situação, dentro dos limites impostos pelas regras da zona euro, em que os bancos centrais nacionais respondem sobretudo ao BCE? A resposta é difícil, mas ajuda compreender e reconhecer melhor o problema.