Exclusivo "Não podemos deitar abaixo as cidades, mas precisamos de mais jardins"

As alterações climáticas vão obrigar as cidades a adaptar a sua organização para lidarem com a subida do nível das águas e com as cada vez mais frequentes ondas de calor. Carlos Humberto, da AML, fala sobre esses desafios e o que se tem de mudar nos territórios.

As cidades precisam de ser adaptadas para enfrentar os desafios provocados pelas alterações climáticas e as mentalidades de mudar. É com o objetivo de sensibilizar os responsáveis políticos, as instituições e os cidadãos para a necessidade dessa alteração que a Área Metropolitana de Lisboa tem em preparação o Plano Metropolitano de Adaptação às Alterações Climáticas, tema que estará hoje em análise numa conferência internacional em Setúbal.

As vulnerabilidades e os desafios a que o combate às mudanças climáticas obriga e as experiências em curso em Barcelona (Espanha), Frankfurt am Main (Alemanha) e na Área Metropolitana do Porto vão ser temas do evento marcado para o Fórum Luísa Todi, com início marcado para as 10.00 e encerramento às 16.30 com a intervenção do ministro do Ambiente e da Transição Energética, João Pedro Matos Fernandes.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG