Trivela de Tomané na derrota pré-clássico do Sporting em Tondela

Leões de Keizer perderam com a equipa beirã, por 2-1, e vão receber os dragões na 17.ª jornada (dia 12 em Alvalade) em 4.ª lugar.

Foi um Sporting muito perdulário aquele que esta segunda-feira perdeu em Tondela, por 2-1, na 16.ª jornada da I Liga. Mas não só por culpa própria. Houve mérito da equipa de Pepa não só em chegar primeiro ao golo como a segurar a vantagem e dilatar o resultado em inferioridade numérica.

Os leões foram assim ultrapassados por Sp. Braga (36) e Benfica (35) na véspera do clássico (dia 12). No final da partida o técnico leonino reconheceu um "início de jogo muito pobre" e algumas exibições aquém do que deviam, enquanto Pepa ressalvou o "momento heroico" da sua equipa, naquela que foi a primeira vitória dos beirões em sete jogos com os leões.

Ter Diaby a fazer de Bas Dost não é bem a mesma coisa que jogar com o holandês, que sofreu um traumatismo craniano no último jogo e tenta recuperar para o clássico... Keizer apostou em Raphinha para fazer companhia a Nani e Diaby no ataque, apoiados por Bruno Fernandes (regressou à equipa após cumprir castigo) e Wendel, mas a ausência do holandês notou-se sobretudo sempre que a equipa procurava o cruzamento para a área beirã. O vazio na área levou os jogadores leoninos a recorrer ao remate de meia e longa distância. Mas nem só da ausência de Bas Dost de ressentiu o leão. Também a falta do cérebro deste Sporting, leia-se Bruno Fernandes, se notou no jogo leonino e acabou por se refeletir na forma de jogar. Os leões foram muito perdulários e displicentes na hora de rematar à baliza.

A primeira parte teve pouco tempo útil de jogo. A questão tem sido levantada por vários treinadores da I Liga e os primeiros 45 minutos do Tondela-Sporting podem ser dados como exemplo. O jogo faltoso foi o recurso fácil de ambas as equipas para travar o adversário - não foi por acaso que a primeira parte terminou com oito cartões amarelos e um cartão vermelho. A equipa de Pepa soube melhor como aproveitar a batalha em campo próprio para se adiantar no marcador logo aos seis minutos de jogo com um golo de Delgado. Xavier partido da falta de agressividade de Bruno Gaspar para oferecer o golo a Juan Delgado

A partir daí foi ver o Sporting instalar-se no meio campo do Tondela (teve 70% de posse de bola), embora sem chegar com muito perigo à baliza de Cláudio Ramos. Exceção feita a um remate de Bruno Fernandes e a um cabeceamento de Raphinha antes do intervalo

Guarda-redes a brilhar, bolas nos ferros, expulsão, trivela...

A precisar de recuperar de um golo de desvantagem, no segundo tempo, Keizer passou do 4x3x3 inicial para um 4x4x2, deixando Gudelj no balneário e colocando Montero ao lado de Diaby na frente de ataque. Mas nem houve tempo para ver o novo esquema em ação. A expulsão de Jaquité aos 50 minutos baralhou as contas de ambos os treinadores. Já depois de Xavier obrigar Renan a mais uma boa defesa o Tondela viu-se reduzido a dez jogadores e ainda com 40 minutos para jogar. Logo depois Raphinha teve uma boa oportunidade para fazer o empate e deu a ideia de que o leão ia com tudo para cima do Tondela... Puro engano.

A jogar com menos um Pepa privilegiou a organização defensiva e deu-se bem. Foi o Tondela que em inferioridade chegou ao 2-0 aos 75 minutos. Um golaço de trivela de Tomané - já tinha ameaçado com um remate à barra - levantou o banco do Tondela, o estádio e muito provavelmente os adeptos do FC Porto no Dragão quando se preparavam para ver o jogo dos dragões com o Nacional e ansiavam por saber que leão iam visitar na jornada a seguir.

A reação dos leões demorou apenas um minuto. Mathieu reduziu para o Sporting e deu alento para o leão ir à procura do empate. Sem mais opções de ataque no banco, Marcel Keizer lançou o central André Pinto para ir em busca do empate e da reviravolta, mas nem Diaby, nem Montero, nem Bruno Fernandes encontraram o caminho para a baliza e o leão caiu com estrondo na Beira.

Com este resultado, a segunda derrota na era Keizer, o Sporting cai do segundo para o quarto lugar na jornada anterior ao clássico. Já o Tondela somou a terceira vitória seguida e fugiu ainda mais aos lugares de descida (está no 12.º lugar).

FICHA DE JOGO

Jogo no Estádio João Cardoso, em Tondela

Tondela - Sporting, 2-1

Marcador: 1-0, Juan Delgado, 05 minutos; 2-0, Tomané, 74; 2-1, Mathieu, 76

Equipas:

Tondela: Cláudio Ramos, Joãozinho, Ricardo Alves, Ricardo Costa, David, Jaquité, Bruno Monteiro (Ícaro Silva, 88), Hélder Tavares, Juan Delgado (60), Tomané e Xavier (João Reis, 85).

Treinador: Pepa

Sporting: Renan Ribeiro, Acuña, Mathieu, Sebastián Coates, Bruno Gaspar, Nani (André Pinto, 83), Gudelj (Montero, 46), Bruno Fernandes, Wendel, Raphinha e Diaby.

Treinador: Marcel Keizer

Árbitro: Nuno Almeida (AF Algarve)

Ação disciplinar: cartão amarelo para Nani (11), Hélder Tavares (11), Diaby (13), Jaquité (28 e 50), Tomané (41), Sebastián Coates (47) e David Bruno (60). Cartão vermelho por acumulação de amarelos para Jaquité (50)

FIGURA

Tomané. Um grande golo coroou uma exibição sólida do avançado do Tondela. Tomané deu muito trabalho à defesa do Sporting e ainda acertou na trave aos 57 minutos antes de fazer o 2-0, de trivela, e numa altura em que a equipa jogava com dez jogadores.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG