Premium Coletes amarelos: violência na rua, mal-estar no governo

Paris volta a ser palco de manifestações neste sábado, apesar das cedências do governo na última semana. Há já quem fale numa crise entre o presidente e o primeiro-ministro, com a oposição a especular sobre uma possível demissão deste último.

O governo francês abandonou os planos de aumento da taxa de carbono sobre os combustíveis em 2019, mas isso não teve qualquer efeito e os coletes amarelos prometem voltar a protestar e a semear o caos em Paris. A capital francesa estará blindada, com lojas e museus fechados, concertos e jogos de futebol adiados, para tentar evitar as cenas de violência e pilhagem.

Quatro semanas após o início dos protestos, que nasceram contra o aumento do preço dos combustíveis, os manifestantes não parecem dispostos a recuar. Enquanto isso, surgem sinais de fragilidade e divisão entre o primeiro-ministro Édouard Philippe e o presidente Emmanuel Macron. O primeiro defendia uma simples suspensão do aumento da taxa, mas foi desautorizado umas horas depois pelo segundo.

Ler mais