Premium Os novos desafios da oncologia

A forma como uma determinada sociedade se relaciona com a doença crónica acaba por ser um espelho de si mesma. É o caso da doença oncológica, a que comummente chamamos cancro e que, evoluindo rapidamente, todos os dias vê a sua incidência aumentada. Com números assustadores e talvez por ser uma doença determinada por fatores endógenos e exógenos, o que lhe confere uma certa aura de arbitrariedade, foram-lhe apontadas várias causas ao longo da história. Hoje em dia, o nosso entendimento sobre as causas do cancro é científico e, felizmente, outro. Caminhamos a passos largos para a cura do cancro e o acesso dos cidadãos aos tratamentos que incorporam a inovação terapêutica com grande evidência científica vai-se tornando a realidade que queremos para todos os que deles precisam. O impacto que implica na despesa do país é largamente ultrapassado pelo retorno que traz, pois é um enorme investimento nas pessoas, na vida, no trabalho e na felicidade. O direito à felicidade existe, não nos esqueçamos. Para trás ficaram as maldições desta doença, a publicidade enganosa e os videntes prometendo curas milagrosas, quem não se lembra?

A luta contra o cancro tem indiscutivelmente beneficiado de avanços tecnológicos e científicos que permitiram novas terapias e novas formas de prevenção e até de divulgação de informação que promove a precocidade - fundamental - do diagnóstico. A par destes progressos, não posso deixar de realçar também o que considero um dos grandes avanços na área do tratamento do cancro: o reconhecimento e a consciencialização da importância da afetividade e das emoções em todo o processo clínico oncológico.

Ler mais

Exclusivos