Premium Viver entre o céu e o inferno. E com medo de que descubram que é bipolar

Celebridades como Demi Lovato, Mariah Carey, Mel Gibson, Russell Brand, Catherine Zeta-Jones, Carrie Fisher, Rita Lee, Sinéad O'Connor, etc., revelaram ser bipolares. Em Portugal, ainda é um estigma.

Na fase de mania (euforia), o mundo é maravilhoso, vamos aproveitar todas as suas possibilidades. Se tivermos dinheiro, o dinheiro vai. Há energia, criatividade. Sei que depois vem a depressão, o cansaço, a tristeza. E que a seguir à depressão vem a mania. São ciclos muito rápidos. O pior é o preconceito, não só em relação à doença bipolar como às doenças mentais em geral. As pessoas não percebem que é muito ténue a linha que nos separa de uma doença mental. Todos temos propensão para a desenvolver: só que em alguns manifesta-se, noutros não."

Marta Gomes, 42 anos, é doente bipolar, vive entre a alegria extrema (euforia) e a tristeza profunda (depressão). Detetaram-lhe a doença há 19 anos e só fala dela com os mais íntimos. No trabalho descobriram há três anos, não por ela. "Tive uma depressão brutal." Prefere que não saibam da sua doença por ouvir nas costas dos outros o que pensa dizerem de si quando não está presente. "O que é que lhe aconteceu? Fritou da pipoca outra vez."

Ler mais

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG