Ora marcas tu ora marco eu. Félix e Seferovic heróis na reviravolta

Águias bateram o Rio Ave por 4-2 depois de terem estado a perder por 2-0, com João Félix e Seferovic a bisarem. Mas a equipa de Daniel Ramos deu muita, muita luta até ao fim.

O Benfica venceu o Rio Ave por 4-2 na estreia de Bruno Lage, mas não ganhou para o susto, num jogo em que chegou a estar a perder por 0-2 aos 27 minutos, mas conseguiu dar a volta ao marcador, graças aos avançados João Félix e Seferovic. Fica uma palavra para a equipa de Daniel Ramos, que também se estreou neste domingo, que vendeu muito cara a derrota e podia ter deixado a Luz com outro resultado.

O Benfica versão Bruno Lage surgiu diferente dos tempos de Rui Vitória. O treinador interino (até quando, logo se verá) fugiu ao 4X3X3 e apostou num esquema tático assente em 4X4X2, com João Félix (a grande novidade no onze) a surgir no ataque nas costas de Seferovic. Fejsa e Pizzi posicionados no meio-campo e nas alas Salvio e Cervi. Os sacrificados em relação ao último jogo foram Gedson e Zivkovic.

O Rio Ave, que curiosamente também estreou neste jogo o treinador Daniel Ramos, apostou numa disposição tática idêntica, atuando com os blocos muito subidos e com uma frente de ataque onde pontificavam Bruno Moreira e Vinícius. E por isso o jogo foi aberto, jogado em grande velocidade, com as duas equipas de olhos postos nas balizas.

O Benfica, com mais posse de bola, tentava tirar partido do facto de o Rio Ave jogar com a linha defensiva muito subida, colocando bolas nas costas dos defesas vilacondenses e jogando em velocidade. Mas o Rio Ave desde cedo mostrou ser uma equipa muito perigosa nas transições. E contra as expectativas, abriu o marcador aos 17 minutos, por Gabrielzinho, que deu o melhor seguimento a uma assistência de Galeano.

Ainda o Benfica se tentava recompor, quando na Luz se ouviram alguns assobios. A razão? O segundo golo do Rio Ave, três minutos depois do primeiro, com Bruno Moreira a antecipar-se ao guarda-redes Vlachodimos após assistência de Matheus Reis. Aos 20 minutos, o Rio Ave vencia por 2-0 em pleno Estádio da Luz. E temia-se o pior!

A equipa de Bruno Lage, contudo, soube reagir, não se mostrando abalada com os dois golos de desvantagem e ainda por cima no atual contexto. E no espaço de cinco minutos empatou o jogo. Primeiro por Seferovic (27'), que surgiu bem posicionado a corresponder a um centro de Grimaldo. E depois pelo miúdo João Félix (32'), que deu o melhor seguimento a um lance de insistência do avançado suíço. O jogo estava relançado na Luz!

Na segunda parte, continuou o bom futebol do Rio Ave, que rondou várias vezes a baliza de Vlachodimos, muitas vezes com perigo. Mas numa altura em que a equipa de Daniel Ramos parecia estar mais perto do terceiro golo (apesar de uma ameaça de Grimaldo, que aos 49 fintou toda a gente e atirou ao poste), acabou por ser o Benfica a marcar. Aos 64', João Félix bisou, após uma boa assistência de Zivkovic, que minutos antes tinha entrado para o lugar de Cervi. Félix tornou-se o jogador mais novo de sempre a bisar no novo Estádio da Luz (19 anos, um mês e 28 dias), e o segundo de sempre, atrás de Hugo Leal, em 1998 (18 anos, seis meses e nove dias).

As águias estavam pela primeira vez em vantagem e voltaram a marcar aos 70'. Golo de Seferovic, após uma grande jogada de contra-ataque em que o suíço foi brilhantemente assistido por Pizzi. Estava definitivamente operada a reviravolta e Bruno Lage tirou João Félix (o melhor em campo a par de Seferovic) e lançou Ferreyra aos 72'. O argentino proscrito por Rui Vitória (nem sequer convocado era) teve finalmente uma oportunidade.

Até ao final, o marcador não sofreu alterações, num jogo em que fica para a história o triunfo do Benfica no primeiro jogo de Bruno Lage, mas em que o Rio Ave se bateu de igual para igual, nunca virando a cara à luta, pagando talvez demasiado cara a postura ofensiva com que atuou na Luz.

Uma última nota: há 22 anos que o Benfica não conseguia uma reviravolta a perder por 2-0. A última vez tinha sido em 2002, num triunfo por 3-2 sobre o Varzim.

A FIGURA: SEFEROVIC

Na ausência de Jonas (castigado), o avançado suíço foi titular e voltou a mostrar estar num grande momento de forma. E neste domingo foi uma vez mais decisivo. Abriu o marcador para o Benfica numa altura em que a equipa perdia por 0-2 e fez a assistência para o golo do empate marcado por João Félix (outra grande exibição). Na segunda parte deu a melhor sequência a um contra-ataque mortal dos encarnados, marcando o quarto do Benfica com frieza após grande assistência de Pizzi. O suíço igualou neste domingo a sua melhor época de sempre, contabilizando 14 golos pelo Benfica e pela seleção do seu país, o mesmo registo alcançado em 2014-15, quando jogava no Eintracht Frankfurt.

FICHA DE JOGO

Estádio da Luz, em Lisboa.

Benfica-Rio Ave, 4-2.

Ao intervalo: 2-2.

Marcadores: 0-1, Gabrielzinho, 17 minutos; 0-2, Bruno Moreira, 20; 1-2, Seferovic, 27.; 2-2, João Félix, 31.; 3-2, João Félix, 64 e 4-2, Seferovic, 70.

Benfica: Vlachodimos, André Almeida, Rúben Dias, Jardel, Grimaldo, Fejsa, Pizzi, Salvio (Krovinovic, 87), Cervi (Zivkovic, 62), João Félix (Ferreyra, 72) e Seferovic.

Treinador: Bruno Lage.

Rio Ave: Leo Jardim, Nadjack, Jonathan Buatu, Nélson Monte, Matheus Reis (Afonso Figueiredo, 87), Jambor (Vitó, 84), João Schmidt, Gabrielzinho, Galeno, Vinicius e Bruno Moreira.

Treinador: Daniel Ramos.

Árbitro: Luís Godinho (Évora).

Ação disciplinar: cartão amarelo para João Félix (30), Nadjack (30), Bruno Moreira (36), André Almeida (46), Matheus Reis (58), Fejsa (88).

Assistência: 49 281 espetadores.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG