Premium Ajuda humanitária aumenta tensão na Venezuela

Soldados venezuelanos bloquearam uma ponte na fronteira com a Colômbia numa altura em que quer o autoproclamado presidente quer os seus aliados multiplicam esforços para a entrada de ajuda humanitária.

O acesso à ponte Tienditas, que liga as cidades de Cúcuta (Colômbia) e Urena (Venezuela), foi bloqueado por um camião-cisterna e dois contentores na noite de segunda para terça-feira. A ponte simboliza a relação do regime bolivariano com a vizinha Colômbia. O encerramento da fronteira entre os dois países ordenado por Nicolás Maduro no final de 2015 fez que a infraestrutura nunca fosse inaugurada, apesar de estar pronta desde 2016.

Como Cúcuta é um dos pontos de recolha de ajuda humanitária, esta ponte é uma das vias escolhidas para a entrada da ajuda humanitária internacional na Venezuela. O autoproclamado presidente, Juan Guaidó, voltou a pedir ao exército que não impeça a entrada em território venezuelano da ajuda humanitária. De novo, às Forças Armadas, uma ordem direta: permitam a entrada da ajuda humanitária necessária para as suas famílias, à irmã, à mãe, à mulher que, com certeza, necessitam de suprimentos."

Ler mais

Exclusivos