Premium O sonho delas é ver pais e filhos envelhecer juntos

Daniela, Joana e Margarida. Duas psicólogas e uma designer de comunicação de formação. São técnicas da Cercica, uma há 20 anos, outra há 10 e outra há 17. Ali entraram, ali estão, porque o trabalho passou a ser uma missão.

"Somos pessoas a trabalhar com pessoas que têm uma característica muito particular: os afetos à flor da pele, quer seja para o bem quer seja para o mal. E a nossa envolvência como técnicos surge de forma muito natural, mas é muito grande, o que se calhar não acontece noutro tipo de funções. Envolvemo-nos muito com eles e eles connosco. Tornamo-nos uma família. Para alguns somos a única família que têm."

Joana Bettencourt, psicóloga, entrou na Cercica há 20 anos, hoje é coordenadora do Centro de Atividades Ocupacionais (CAO), uma das valências da instituição que nasceu em 1976 para dar resposta a crianças com deficiência e que na altura não tinham lugar nas escolas regulares. Margarida Nascimento é psicóloga no CAO há 10 anos. Daniela Gomes é designer de comunicação de formação, foi professora de Educação Visual e colaborou com o Ateliê de Artes da Cercica, um dia "vestiu a camisola" e integrou o ateliê a tempo inteiro.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Monsanto

"Nunca pensei desistir." O jardineiro que derrubou a Monsanto

Não é um homem rico, como muitos pensam, porque ainda não recebeu a indemnização da Monsanto. Nem sabe se viverá o suficiente para assistir ao acórdão final do processo que travou contra a gigante agroquímica, dona da marca RoundUp. Ainda assim, sabe que já fez história. Na luta contra um cancro (linfoma não Hodgkin), diz que tem dores, altos e baixos, mas promete não desistir. Se houvesse cura, Dewayne Lee Johnson gostaria de criar uma fundação e dedicar-se mais à música e à arte.