Premium "Já fui o Tom, o Porky Pig e o Bugs Bunny, agora sou simplesmente eu próprio, Filipe"

Filipe Cerqueira é pintor. Assim se está a afirmar aos 29 anos. Fala três línguas, português, inglês e espanhol. Tem a síndrome de Asperger e uma certeza também: "Eu sei tudo das coisas que eu sei."

Esta história é contada também na primeira pessoa. Filipe é adulto, faz 30 anos a 15 de fevereiro. Tem a síndrome de Asperger. A memória para datas não o atraiçoa. E a visual também não. Fã de animação desde pequeno, começou por investigar os desenhos animados de que gostava. Primeiro as personagens, depois as pessoas que lhe davam as vozes, as que dirigiam, as que produziam, os argumentistas e, por fim, quem dava voz às personagens em várias línguas. Como se não bastasse, Filipe sabe imitar as vozes de todos eles. Por isso, do alto da sua sabedoria, imensa, diz: "Eu sei tudo das coisas que eu sei."

Falar sobre o Filipe não é fácil. Descrevê-lo também não. É preciso conhecê-lo. Olhá-lo nos olhos, ouvi-lo - a corrigir as técnicas da Cercica ou os pais sempre que se enganam numa data ou num pormenor, ou a contar alguns dos episódios que o marcaram. É preciso observar o entusiasmo com que fala do seu trabalho, da T-shirt que traz vestida - branca, simples, com imagens de Os Três Estarolas, as personagens preferidas - ou de como reage às pessoas que encontra e de quem gosta.

Ler mais

Exclusivos