Premium Chega e Iniciativa Liberal dominam campanha nas redes sociais

O Chega e o PAN, no Facebook, e o Iniciativa Liberal, no Twitter e no Instagram, são os projetos políticos com mais eficácia nas redes. Têm a melhor relação entre o número de seguidores e a quantidade de partilhas, gostos e comentários.

O partido político português com mais seguidores no Facebook - de longe a rede com mais utilizadores em Portugal, cerca de seis milhões - é o PAN. Tem mais de 150 mil pessoas ligadas a tudo o que escreve e partilha. Atrás vem o PSD, a curta distância. O PS e o BE têm metade dos seguidores do PAN. A representação parlamentar e o peso social dos partidos parecem não ter qualquer relação com a realidade concreta das redes sociais.

À frente do CDS, do PCP e dos Verdes, no Facebook, estão partidos como o PNR e o Iniciativa Liberal. Este último é um caso de estudo. É o partido (recentemente legalizado) que domina, de longe, o debate político no Twitter e no Instagram.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ferreira Fernandes

"Corta!", dizem os Diáconos Remédios da vida

É muito irónico Plácido Domingo já não cantar a 6 de setembro na Ópera de São Francisco. Nove mulheres, todas adultas, todas livres, acusaram-no agora de assédios antigos, quando já elas eram todas maiores e livres. Não houve nenhuma acusação, nem judicial nem policial, só uma afirmação em tom de denúncia. O tenor lançou-lhes o seu maior charme, a voz, acrescida de ter acontecido quando ele era mais magro e ter menos cãs na barba - só isso, e que já é muito (e digo de longe, ouvido e visto da plateia) -, lançou, foi aceite por umas senhoras, recusado por outras, mas agora com todas a revelar ter havido em cada caso uma pressão por parte dele. O âmago do assunto é no fundo uma das constantes, a maior delas, daquilo que as óperas falam: o amor (em todas as suas vertentes).