Premium Um problema político chamado Joana Marques Vidal

António Costa vai ser sempre preso por ter cão e por não ter. Se quiser substituir Joana Marques Vidal à frente da Procuradoria-Geral da República, será acusado de uma espécie de vendetta. É a leitura mais óbvia, depois de todos os processos que, nos últimos seis anos, envolveram as mais altas figuras do país, incluindo um ex-primeiro-ministro socialista, e mexeram com o statu quo de um Portugal que nunca imaginou que, um dia, tanta coisa seria colocada em causa.

Acresce que uma eventual não renovação do mandato da atual PGR terá sempre uma outra leitura política - como explicava, e bem, Daniel Oliveira, no Eixo do Mal, da SIC Notícias: a de que o governo não faz uma avaliação positiva do mandato de Joana Marques Vidal e que, por isso, não o quer renovar.

Ler mais