Goa sob ameaça da Índia

Os ataques e hostilidades começaram bem antes da definitiva integração do território goês na Índia. É o caso de 1954.

Em agosto de 1954 a primeira página do Diário de Notícias era praticamente toda ocupada com mais uma das provocações feitas pelo Estado indiano com vista à libertação de Goa - na altura ainda portuguesa.

As notícias são várias e dão conta de reações por todo o lado - do Brasil à África do Sul, de que Portugal é forte aliado nesta altura. Há, aliás, um dos grandes títulos que indica que a agressão da Índia apenas mais aproxima os dois países - com interesses comuns.

Há uma pequena breve que refere o traidor Peter Alvares, um dos "lutadores pela liberdade" ou "freedom fighter", chamado de "traidor" pelo jornal por ser o líder do Congresso Nacional de Goa e defender a luta interna e violenta dentro do território.

Um artigo bastante crítico - era óbvio que o DN tomava posição - fala de Nehru. "Faz a guerra com Portugal e finge de homem de paz na África e na Indochina."

A guerrilha e os ataques sucessivos iriam durar até 1971, com a tomada do território goês pela Índia e a retirada das tropas portuguesas numa polémica ação militar.

As fotografias acima dão conta das manifestações várias de grupos de portugueses - nomeadamente no Brasil e na Argentina - contra a ameaça indiana em Goa.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Anselmo Borges

Francisco ​​​​​​​em Pequim?

1. A perseguição aos cristãos foi particularmente feroz durante a Revolução Cultural no tempo de Mao. Mas a situação está a mudar de modo rápido e surpreendente. Desde 1976, com a morte de Mao, as igrejas começaram a reabrir e há quem pense que a China poderá tornar-se mais rapidamente do que se julgava não só a primeira potência económica mundial mas também o país com maior número de cristãos. "Segundo os meus cálculos, a China está destinada a tornar-se muito rapidamente o maior país cristão do mundo", disse Fenggang Yang, professor na Universidade de Purdue (Indiana, Estados Unidos) e autor do livro Religion in China. Survival and Revival under Communist Rule (Religião na China. Sobrevivência e Renascimento sob o Regime Comunista). Isso "vai acontecer em menos de uma geração. Não há muitas pessoas preparadas para esta mudança assombrosa".