"House of Cards" sem Kevin Spacey é a mesma coisa? Nem por sombras

O DN já viu o primeiro episódio da derradeira temporada de House of Cards, esta meia-noite em estreia mundial em Portugal. Chegou uma nova era política com uma mulher de armas a mandar nos EUA!

House of Cards sem Kevin Spacey é a mesma coisa? Não, nem por sombras. Sim, Frank Underwood está morto e foi enterrado, mas a sua morte misteriosa vai ser pano de fundo de tudo o que acontece por aqui. Esta é a primeira evidência desta nova e derradeira temporada. O arranque da série que apaixonou espectadores em todo o mundo e que fez do imaginário da Casa Branca uma reflexão séria sobre o poder contemporâneo na América prova isso mesmo.

E já se percebeu: esta temporada de despedida é um one-woman show todo centrado em Robin Wright e na sua Claire Underwood, agora presidente e a contas com as suspeitas de ter assassinado o seu marido. Na verdade, neste primeiro episódio, em todas as conversas o ex-presidente está presente, aliás, percebe-se que Claire, na sua pose de chefe de Estado, procura imitar os tiques e o estilo do seu falecido marido. Uma viúva implacável que aos poucos quer começar a impor um novo estilo, mesmo quando é ameaçada por famílias de peso da indústria de Washington, mesmo quando é "sabotada" pelos seus colaboradores. Uma mulher acossada.

De referir que Robin Wright é agora a produtora da série e que o peso da visão de uma mulher na Casa Branca é agora a tónica central da intriga. Nessa perspetiva, sente-se a primazia dos argumentistas em colocar temas como a emancipação feminina e o preconceito masculino na política nos EUA. Sentimos isso quando o vice-presidente conta à nova presidente as ameaças de morte que está a receber. Spoiler ou não, Claire já neste arranque é confrontada com um atentado.

É de salientar ainda que, acerca da morte de Frank, apenas vemos fotografias do seu enterro e sempre sem se revelar o rosto de Kevin Spacey, despedido pela produção após a sua confissão no escândalo de agressões sexuais a vários homens.

Spacey desapareceu por completo de Hollywood após todo este caso. O drama O Clube dos Bilionários, de James Cox, foi o seu último filme estreado e revelou-se um monumental fracasso de bilheteiras, enquanto a produção de Gore, de Michael Hoffman, em que o ator oscarizado interpretava Gore Vidal, foi cancelada.

Para reforçar o elenco de House of Cards, a produção apostou em Greg Kinnear, conhecido de filmes como Melhor É Impossível e Uma Família à Beira de Um Ataque de Nervos, e Diane Lane (Os Marginais), que interpreta a ambiciosa Annette Shepard, uma amiga traiçoeira da presidente.

O que os portugueses vão poder ver esta madrugada em estreia simultânea com os EUA é ainda um primeiro episódio "informativo". Um episódio que demora a arrancar e que se perde aqui e ali com alguma pose de estilo, mas sempre ancorado no carisma dessa imensa atriz que é Robin Wright, em breve também no grande ecrã com a continuação de Mulher-Maravilha. Aconteça o que acontecer, vai custar despedirmo-nos de uma das melhores séries de ficção da televisão americana dos últimos anos.

House of Cards - T6, estreia-se às 24.00, no TVSéries (canal de assinatura), restantes episódios aos sábados às 22.00.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG