Premium Ingrid defende acordo de paz dez anos após ser resgatada às FARC

Passou mais de seis anos como refém das FARC, mas nas últimas presidenciais apoiou o mesmo candidato que a ex-guerrilha colombiana. A viver em França, dedica-se à defesa dos Direitos Humanos e é rosto habitual nos encontros da dissidência iraniana.

"Num sequestro, ao final de um certo tempo, já nada há a dizer", contava a franco-colombiana Ingrid Betancourt poucos dias após ter sido resgatada das mãos das FARC, lembrando o silêncio dos reféns nos acampamentos da guerrilha.

Dez anos depois de ter recuperado a liberdade, a ex-candidata presidencial, com 56 anos, usa a sua voz na defesa do processo de paz do seu país natal, onde já não vive, mas também dos Direitos Humanos em todo o mundo, em especial no apoio à dissidência iraniana.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Daniel Deusdado

Estou a torcer por Rio apesar do teimoso Rui

Meu Deus, eu, de esquerda, e só me faltava esta: sofrer pelo PSD... É um problema que se agrava. Antigamente confrontava-me com a fria ministra das Finanças, Manuela Ferreira Leite, e agora vejo a clarividente e humana comentadora Manuela Ferreira Leite... Pacheco Pereira, um herói na cruzada anti-Sócrates, a voz mais clarividente sobre a tragédia da troika passista... tornou-se uma bússola! Quanto não desejei que Rangel tivesse ganho a Passos naquele congresso trágico para o país?!... Pudesse eu escolher para líder a seguir a Rio, apostava tudo em Moreira da Silva ou José Eduardo Martins... O PSD tomou conta dos meus pesadelos! Precisarei de ajuda...?