Premium Crise migratória impõe-se como tema central do primeiro encontro entre Sánchez e Casado

Um é primeiro-ministro desde 2 de junho. O outro é líder da oposição desde 21 de julho. Nesta quinta-feira, Pedro Sánchez e Pablo Casado reúnem-se pela primeira vez de forma oficial, na Moncloa, às 17.00 (16.00 em Lisboa).

Tendo em conta os acontecimentos e as trocas de acusações dos últimos dias, não é difícil imaginar que o tema central do encontro entre o dirigente socialista e o líder dos populares será o da crise migratória.

Casado, sucessor de Mariano Rajoy, o qual foi derrubado do poder pela moção de censura de Sánchez, deslocou-se nesta quarta-feira a Algeciras e a Ceuta (enclave espanhol no norte de África) para ver, in loco, a situação dos migrantes. Acompanhou os trabalhos da Guardia Civil, da Cruz Vermelha, da Polícia Nacional e do Salvamento Marítimo.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Pedro Lains

Compreender Marques Mendes

Em Portugal, há recorrentemente espaço televisivo para políticos no activo comentarem notícias generalistas, uma especificidade no mundo desenvolvido. Trata-se de uma original mistura entre comentário político e espaço noticioso. Foquemos o caso mais saliente dos dias que correm para tentar perceber a razão dessa peculiaridade nacional. A conclusão é que ela não decorre da ignorância das audiências, da falta de especialistas sobre os temas comentados, ou da inexistência de jornalistas capazes. A principal razão é que este tipo de comentário serve acima de tudo uma forma de fazer política.