Premium "Os partidos têm resistido, mas não estamos livres de populistas"

Há muito um estudioso das democracias do sul da Europa, Tiago Fernandes diz que, quanto a indicadores de confiança, Portugal "está um bocadinho melhor"... "dentro do mau", em comparação com os seus congéneres.

Apesar de os valores de confiança serem baixos, os portugueses confiam mais nas instituições políticas do que os outros povos do sul da Europa?
Portugal tem níveis de confiança nas instituições ligeiramente superiores aos outros e recupera essa confiança mais rapidamente. Mas numa tendência geral, que é universal, de grande declínio da confiança nas instituições democráticas, com exceção dos sindicatos e da justiça. E também de menor satisfação com o desempenho da democracia e menor confiança no processo de adesão às instituições europeias. Portugal está um bocadinho melhor, mas dentro do mau. Dito isto, é preciso dizer que o apoio à democracia enquanto melhor forma de regime continua alto.

Mas há diferenças entre os países...
Há. Mas a percentagem daqueles que afirmam que outra forma de regime é melhor do que a democracia, mesmo durante a crise, é sempre inferior, em todos os países, a 10% da população. A falta de confiança está mais associada a um aumento do voto em partidos populistas. É mais por aí e não tanto pela preferência por outro tipo de regimes que a falta de confiança pode afetar a democracia. Partidos iliberais, populistas, xenófobos tendem a ter um eleitorado cujos níveis de desconfiança são superiores.

Ler mais

Exclusivos