Premium Há 30 mil alunos carenciados sem direito a manuais

Colégios têm alunos carenciados com contratos simples, filhos de funcionários que ganham o salário mínimo e não pagam e ainda muitos casos de mecenato. Mas não recebem manuais que, no Estado, chegam a ricos e pobres.

O ensino particular e cooperativo tem "pelo menos 30 mil alunos" que, caso frequentassem as escolas públicas, estariam integrados nos escalões A e B da ação social - os mais carenciados - mas que não têm direito sequer a comparticipação nos manuais que, a partir do próximo ano letivo, serão entregues sem custos a todos os estudantes da rede estatal, do 1.º ao 12.º ano de escolaridade.

A estimativa é de Rodrigo Queirós e Melo, diretor executivo da Associação de Estabelecimentos de Ensino Particular e Cooperativo (AEEP), para quem é "incompreensível que se deixe de fora alunos carenciados "que deveriam ter direito aos manuais antes de se estar a generalizar a oferta dos mesmos aos que não precisam".

Ler mais

Exclusivos