Para fora cá dentro

Nuno Camarneiro

Sempre que posso faço férias no estrangeiro, não é por aversão ao país ou elitismo saloio, mas gosto de ver outros rostos e desenferrujar as línguas, queixar-me do atendimento e da comida, indignar-me com os preços e regressar ufano, cheio de saudades do pastel de nata e da bica.

Depois de Itália, Grécia e Turquia, este ano estou a pensar ir para Lisboa. A experiência é garantida e os preços são em conta, senão, vejamos: tenho um hostel no meu prédio com nome inglês e óptimas reviews, na rua encontro restaurantes indianos e nepaleses, um pizzeria italiana e até uma vegan bakery que não sei o que é mas parece excitante.

Planeio deslocar-me de tuk-tuk e de eléctrico e até já comprei uns calções com bolsos e um walking stick.

Quando regressar mostro as selfies.