Trabalhadores de dez empresas em greve a horas extra

Os trabalhadores de dez empresas de vários sectores de atividade iniciam hoje uma greve às horas de trabalho extraordinário, por tempo indeterminado, contra a redução de 50 por cento do valor pago, no âmbito do novo Código do Trabalho.

Os trabalhadores da CMP - Cimentos Maceira e Pataias, da SECIL -- Companhia Geral de Cal e Cimento, da Serlima Wash II, da Alstom, da Amcor, da Limpersado, da Lisnave e Lisnave Yards, da Portucel, Arboser, ATF, Headbox e EMA 21, da Sovena Consumer Goods, SA e da SOMINCOR Sociedade Mineira de Neves Corvo, têm um pré-aviso de greve por tempo indeterminado, até a administração das respetivas empresas desistir de alterar o valor do trabalho extraordinário.

De acordo com o novo Código do Trabalho, que entrou em vigor a 01 de agosto, as horas extraordinárias são pagas pela metade. Na primeira hora extra, o valor a pagar terá um acréscimo de 25 por cento (contra os anteriores 50 por cento) e de 37,5 por cento nas horas seguintes (contra os anteriores 70 por cento).

Caso o trabalho suplementar seja realizado ao fim de semana ou feriado, o trabalhador ganha apenas 50 por cento, contra os anteriores 100 por cento. O trabalho extraordinário deixa também de dar direito a descanso compensatório o que, até ao dia 01 de agosto, representava 25 por cento de cada hora de trabalho suplementar (15 minutos).

Os trabalhadores das empresas acima referidas juntam-se assim aos funcionários da Refer que, na quarta-feira, se juntaram aos da CP - Comboios de Portugal numa greve às horas extraordinárias, em dia de descanso semanal e aos feriados, que deverá ter especial impacto no feriado de 15 de agosto.

Os trabalhadores da CP têm um pré-aviso de greve até ao dia 31 de agosto, enquanto os funcionários da Refer estarão em greve desde 01 de agosto e até ao final de setembro.

Também a Carris, Metropolitano, STCP e CP Carga entregaram o pré-aviso de greve às horas extraordinárias para 15 de agosto.

Entretanto, os trabalhadores dos portos de Aveiro, Figueira da Foz, Setúbal, Sines, Viana do Castelo e Caniçal-Madeira, entregaram também o pré-aviso de greve às horas extraordinárias para o mesmo dia (15 de agosto).

Exclusivos