Taxas a dez anos aliviam, mas continuam acima dos 7%

Os juros da dívida soberana portuguesa a dez anos estão hoje a aliviar face aos valores de quinta-feira, mas ainda acima dos 7 por cento.

De acordo com a agência de informação financeira Bloomberg, às 08:53, as taxas de juro associadas às obrigações soberanas a 10 anos no mercado secundário negociavam nos 7,365 por cento, abaixo dos 7,453 por cento da média do dia de quinta-feira. O máximo histórico dos juros associados aos títulos de dívida com esta maturidade aconteceu a 17 de Fevereiro, quando atingiram os 7,453 por cento. Este é o recorde desde, pelo menos, a entrada no euro, em 1999.

Já o 'spread' face aos títulos de dívida alemã (referencial para a Europa), ou seja, o prémio pedido pelos investidores para comprarem obrigações portuguesas em vez de alemãs, situava-se nesta maturidade nos 429,7 pontos base. Já na dívida soberana a cinco anos, os juros estavam a negociar em 6,918 por cento no mercado secundário, abaixo dos 7,039 por cento de quinta-feira, dia em que bateram máximos históricos e o maior valor desde 1999, enquanto o 'spread' face à dívida alemã era de 469,8 pontos base.

Já no caso dos CDS ('Credit Default Swaps'), o seguro contra o risco de incumprimento da dívida soberana, Portugal é hoje o primeiro país do mundo em que o valor dos CDS mais desce para os títulos a dez anos. Às 08:18, o valor dos CDS associado aos títulos de Portugal a dez anos descia 14,3 por cento para 408,26 pontos base.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG