Taxa a dez anos iguala pior sequência de Portugal desde a entrada na zona euro

Os juros associados à dívida soberana portuguesa a 10 anos no mercado secundário seguem pelo quinto dia consecutivo acima da barreira dos sete por cento, a segunda sequência deste género desde a entrada no euro.

Até ao início deste ano a taxa de juro associada a 10 anos praticada no mercado secundário (valores médios de fecho diário da Bloomberg), não haviam fechado o dia a superar os 7 por cento mais de dois dias consecutivos.

A 10 de Novembro, a taxa superou os sete por cento pela primeira vez num ano marcado pela crise da dívida soberana na Europa, valor em que manteve no dia seguinte, voltando a descer após dia 11 de Novembro. Os juros voltaram a bater os sete por cento nos dias 24 e 25 de Novembro, voltando a descer, para no dia 29 de Novembro voltar a fechar nesse valor.

Até ao dia 14 de Janeiro, nunca a sequência de dias a fechar acima dos sete por cento havia sido superior a dois dias consecutivos, mas a partir de 14 de Janeiro a taxa genérica da Bloomberg ficou acima dessa barreira durante quatro dias consecutivos. Hoje, esta taxa continua acima dos 7 por cento, pelo quinto dia consecutivo, igualando nesta altura a pior sequência de dias registada desde a entrada no euro, registada na última semana de Janeiro, sendo que esta semana os juros têm sido mais altos que em Janeiro.

Desde o início do ano, nas 29 sessões em que o mercado secundário esteve a negociar, os juros associadas a esta maturidade fecharam acima da barreira dos sete por cento por 14 vezes, excluindo a sessão de hoje, em que continua a negociar acima dos sete por cento, apesar de terem descido de máximos históricos após notícias de que o Banco Central Europeu terá comprado dívida portuguesa a cinco anos. A Grécia, que pediu formalmente apoio financeiro ao Fundo Monetário Internacional e a Bruxelas a 23 de Abril, esteve apenas sete dias com juros acima deste nível antes de pedir apoio, atingindo 8,839 por cento no dia antes do anúncio.

No caso da Irlanda, cujo pedido de ajuda formal ao Fundo Monetário Internacional e a Bruxelas (na altura já com o Fundo Europeu de Estabilização Financeira em funcionamento) chegou a 21 de Novembro (um domingo), as taxas de juro associadas às obrigações com maturidade a dez anos fecharam 15 dias a negociar acima desta barreira.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG