Stiglitz diz que o "euro não é bom para a paz"

O euro divide os europeus e "não é bom para a paz", disse Joseph Stiglitz, Nobel da Economia de 2001, numa entrevista ao jornal 'Handelsblatt'.

"Todos os observadores externos concordarão que o euro e a política de salvamento do euro divide os europeus neste momento. Trata-se de divisões entre Estados, mas também dentro dos Estados, onde correntes extremistas e nacionalistas estão a tornar-se mais fortes. Isso não é bom para a paz. No geral, o euro foi contraproducente", disse Stiglitz, acrescentando que considera a situação atual "instável". E, segundo ele, tanto pode "levar a mais integração, como a menos. É possível que os pais fundadores tivessem razão [em criar o euro], mas eles terão certamente imaginado uma evolução natural em direção a uma união política e não uma união forçada para evitar um desastre".

Apesar das críticas e, numa altura em que se aguarda a revelação do laureado com o Nobel da Economia de 2012, Stiglitz saudou a União Europeia pela atribuição, na passada sexta-feira, do Nobel da Paz. "A UE foi criada como um projeto de paz e assegurou a paz na Europa. Mereceu o prémio", afirmou na entrevista, citada pela AFP, acrescentando: "Mas a UE não é a mesma coisa do que a Zona Euro".

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG