Residência para estrangeiros que comprem casa em Espanha ainda por decidir

O chefe do governo espanhol, Mariano Rajoy, assegurou hoje que a decisão de conceder autorização de residência a estrangeiros fora da União Europeia, que adquiram casas em Espanha por mais de 160 mil euros, não está tomada.

Rajoy respondia a uma pergunta durante uma conferência de imprensa, na sequência do anúncio pelo secretário de Estado do Comércio espanhol de que o governo iria passar a conceder autorização de residência a estrangeiros de fora da União Europeia que adquirissem casas em Espanha por mais de 160 mil euros.

Apesar de ter dito a decisão não estava tomada, Rajoy sublinhou que o executivo espanhol pretende que o "stock" de casas existente seja posto à venda a preços razoáveis.

Anteriormente, o secretário de Estado espanhol, Jaime García-Legaz, explicou, aos jornalistas em Madrid, que esta iniciativa se destinava especialmente ao mercado russo e chinês e que a mudança da lei iria acontecer dentro de "algumas semanas".

Em relação ao valor mínimo de 160 mil euros para a atribuição da autorização de residência em Espanha, García-Legaz considerou tratar-se de um "nível equilibrado", que "também não dará lugar a uma procura em massa de autorizações", assegurando que um preço inferior podia servir como desculpa para obter residência.

O responsável acrescentou que na terça-feira haverá uma reunião com os ministérios envolvidos para tratar desta mudança normativa com a qual o executivo pretende impulsionar a procura externa de casas, num momento em que a procura interna está paralisada.

García-Legaz garantiu que há muita procura do setor imobiliário fora de Espanha e sublinhou que o mercado imobiliário espanhol oferece uma situação "muito atrativa" devido à queda considerável dos preços.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG