Rajoy anuncia subida do IVA de 18% para 21%

O primeiro-ministro de Espanha está a explicar esta manhã os resultados da cimeira europeia no Congresso dos Deputados e a anunciar mais medidas de austeridade e de contenção de custos para tentar travar a crise no país vizinho.A redução da prestação do subsídio de desemprego faz parte da lista, tal como o corte do subsídio de Natal.

"Sei que as medidas não são agradáveis, cada uma delas em particular e, todas juntas, muito menos, mas são imprescindíveis", disse Mariano Rajoy, enquanto anunciava a subida das taxas de IVA em Espanha: a máxima de 18% para 21% e a intermédia de 8% para 10%. A mínima mantém-se em 4%, noticiam jornais espanhóis on-line como o ABC e o El Mundo.

A par disto, Rajoy, do Partido Popular, anunciou ainda uma reforma das administrações públicas espanholas que visa poupar 3,5 mil milhões de euros. Entre as medidas previstas pelo chefe do Governo espanhol estão a delimitação de competências e a proibição de que as câmaras municipais prestem serviços para os quais não têm disponível o dinheiro necessário. Os vereadores serão reduzidos em 30% de acordo com a população de cada zona.

Rajoy, eleito em novembro do ano passado em legislativas antecipadas, comunicou também que será suspenso o pagamento de um dos dois subsídios extraordinários pagos a funcionários e altos cargos da Administração central, autonómica e local e pediu que o esforço seja partilhado tanto por deputados como por senadores.O El Mundo avança que o subsídio a cortar é o de Natal.

O primeiro-ministro anunciou ainda aos parlamentares espanhóis que pretende reduzir o número de fundações públicas e empresas do Estado, reduzir em 20% os subsídios destinados aos partidos políticos e também uma redução no pagamento dos subsídios de desemprego: a partir do sexto mês, os beneficiários deste subsídio verão a prestação reduzia da 60% para 50%. Porém, o prazo máximo para receber o subsídio mantém-se nos 24 meses.

Rajoy indicou ainda que tenciona tomar medidas em relação às reformas antecipadas.

Esta manhã o Congresso e os espanhóis ficaram igualmente a saber que aumenta a fiscalidade ambiental e o imposto sobre o tabaco no país.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG