Produtores de leite querem manutenção do IVA

A Associação de Produtores de Leite de Portugal apelou hoje ao Governo para que não aumente o IVA nos alimentos já que isso diminuirá o consumo e aumentará a pressão do comércio para que os fornecedores façam descontos.

Em declarações à agência Lusa, o presidente da Associação de Produtores de Leite de Portugal (APROLEP) disse que o aumento do IVA nos alimentos, em vez de ajudar à "luta" dos produtores, só vai agravar a situação.

"Se aumentar [o IVA], ou as pessoas vão consumir menos ou então vai acontecer como no passado, vai haver uma pressão das grandes superfícies para manter o preço de venda ao consumidor. Isso só é possível reduzindo o preço de compra e vai repercutir-se no preço de compra aos produtores", adiantou Carlos Neves.

No entender do responsável, os produtores vão ser tanto ou mais prejudicados que os consumidores.

O presidente da APROLEP lembrou que o preço do leite pago ao produtor permanece em Portugal abaixo da média comunitária, adiantando que dados do mês de Junho indicam um preço médio de 0,346 cêntimos de leite nas principais indústrias europeias, enquanto que em Portugal o valor é de 0,31 cêntimos no Continente e 0,295 nos Açores.

Por outro lado, refere Carlos Neves, a diferença de preços é agravada por uma diferença de custos de produção que são superiores em Portugal.

"Temos parcelas de terrenos mais pequenas que não podem ser mecanizadas com tanta facilidade, temos nas principais regiões produtoras de leite uma situação de seca. Este ano choveu mais no sul do que no Minho e também os Açores estão com problemas de seca", disse.

De acordo com o responsável, em Portugal há também problemas com as produções de milho, principal alimento das vacas, havendo ainda custos elevados com energia, gasóleo e menos ajudas comunitárias.

"Toda esta situação tem conduzido ao encerramento de muitas explorações pecuárias e à asfixia financeira das que resistem. Algumas explorações estão dependentes de credores e fornecedores e os que conseguem ser eficientes vivem para pagar despesas do dia a dia", explicou.

Por considerar que a questão do aumento do IVA é demasiado "importante e urgente", a APROLEP pediu já uma audiência à ministra da Agricultura, Assunção Cristas, que vai realizar-se em Setembro.

"Esperemos que o Governo promova rapidamente o diálogo entre a distribuição e a indústria para que baixem as importações e seja melhor valorizado o leite português", concluiu.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG