Prestação da casa subiu em média 15 euros em Julho

A prestação média dos contratos de crédito à habitação celebrados nos últimos três meses subiu 15 euros entre Junho e Julho, reflectindo o aumento da taxa de juro implícita para 3,795 por cento, segundo o INE.

Os dados do Instituto Nacional de Estatística, hoje divulgados, revelam que a taxa de juro e prestação media no crédito à habitação mantém a tendência crescente, tanto nos novos contratos como nos mais antigos.

Nos contratos assinados nos últimos três meses, a prestação média subiu, em Julho, para 371 euros (mais 15 euros do que em junho). Para os contratos dos últimos seis meses, a prestação aumentou quatro euros, enquanto a dos últimos 12 meses registou um acréscimo mensal de 12 meses.

No conjunto dos contratos de crédito à habitação, a prestação média fixou-se, em Julho, em 271 euros, mais dois euros do que o valor registado no mês anterior, com a taxa de juro implícita a atingir os 2,430 por cento (mais 0,093 pontos percentuais do que em Junho).

Em Julho, o valor médio do capital em dívida dos contratos diminuiu 43 euros face ao mês anterior, situando-se 56 883 euros.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG