Presidente do Eurogrupo admite acordo a 27

O presidente do Eurogrupo disse hoje que a pretensão de Portugal e Irlanda de terem mais tempo para pagar os seus empréstimos vai ser colocada na terça-feira aos ministros das Finanças da União Europeia, admitindo um "acordo".

"Pretendemos discutir amanhã (terça-feira) se os ministros da União Europeia estaríam prontos a considerar um ajustamento dos empréstimos do MEEF (Mecanismo Europeu de Estabilização Financeira) à Irlanda e Portugal", declarou Jeroen Dijsselbloem, no final de uma reunião do Eurogrupo.

Se houver acordo na terça-feira, acrescentou o responsável, "pediríamos à 'troika' que avançasse com uma proposta para a melhor opção possível para cada um destes países, para os empréstimos do FEEF (Fundo Europeu de Estabilização Financeira) e MEEF".

O presidente do fórum de ministros das Finanças da zona euro indicou que - "apesar de em diferentes etapas dos seus programas - os dois países já deram passos bem sucedidos para regressar aos mercados", e que hoje os 17 discutiram "como melhor apoiar os seus esforços para reconquistarem o acesso total aos mercados e saírem com sucesso dos seus programas".

A 21 de janeiro, o ministro das Finanças, Vítor Gaspar, solicitou ao Eurogrupo a extensão dos prazos de maturidade dos empréstimos a Portugal, de modo a facilitar o regresso aos mercados, afirmando ter a "expectativa fundada" do apoio dos seus parceiros do euro.

Na semana passada, um alto responsável do Eurogrupo indicara que havia uma "predisposição positiva" para atender os pedidos de Portugal e Irlanda, mas disse que não seria ainda nesta reunião do Eurogrupo que seria tomada uma decisão final, e apontou que a mesma teria de ser sempre em sede de Ecofin (ministros das Finanças dos 27), uma vez que a extensão das maturidades se aplicaria tanto aos empréstimos concedidos à luz do FEEF como àqueles concedidos pelos 27 (MEEF).

Dijsselbloem disse ainda que voltou a ser feito um "ponto da situação dos programas de ajustamento na Irlanda e em Portugal" e "ambos estão no rumo certo e com bons desempenhos, apesar de circunstâncias macroeconómicas" menos favoráveis.

O Eurogrupo exortou as autoridades a continuarem com o seu "forte compromisso" com os mesmos.

Portugal está representado na reunião de hoje do Eurogrupo e de terça-feira do Ecofin pelo ministro das Finanças, Vítor Gaspar, que hoje não prestou declarações.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG