Preço dos alimentos caiu em novembro

O preços dos alimentos no mundo tiveram um recuo em novembro de 1,5 por cento, sobretudo pela baixa acentuada dos preços do açúcar, óleo e cereais, segundo o índice dos preços alimentares publicado hoje pela FAO.

Segundo a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), em outubro os preços médios começaram a cair e recuou um por cento.

Os preços em novembro continuam, entretanto, superiores em três por cento em relação ao mesmo período do ano anterior, estando os preços dos cereais 12 por cento mais altos em relação a novembro de 2011.

O índice de preços alimentares, calculado a partir de um conjunto de produtos básicos, atingiu 211 pontos em novembro, o seu "nível mais baixo desde junho de 2012", sublinhou a FAO.

"Todos os preços de matérias-primas baixaram em novembro, a exceção dos produtos lácteos, tendo o açúcar registado a queda mais acentuada", recuando 4,8 por cento num mês e 19,2 por cento num ano, indicou o índice.

Segundo a FAO, esta baixa drástica nos preços explica-se pela boa disponibilidade no mercado, em particular no Brasil, que é o primeiro exportador mundial de açúcar.

No entanto, os preços dos produtos derivados do leite aumentaram 0,5 por cento em relação a outubro.

Os preços dos cereais caíram graças ao arroz, disponível em grande quantidade e negociado a preços baixos, enquanto o trigo recuou na segunda metade de novembro "quando os temores de restrição à exportação pela Ucrânia foram dissipados".

Óleos e matérias gordas registaram a terceira baixa consecutiva em três meses, com uma queda próxima de três por cento em relação a outubro.

O preço da carne permanece estável, com uma queda de 0,7 por cento num mês, mas de 3,5 por cento em relação a novembro de 2011.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG