"Portugal pode ter estado social, mas tem de o pagar"

Portugal pode manter um sistema de proteção social de grandes dimensões desde que consiga financiá-lo, disse hoje em Lisboa o chefe de missão do Fundo Monetário Internacional, Abebe Aemro Selassie.

"Se quiserem ter um grande estado providência em Portugal, tudo bem, mas têm de saber como pagar por ele", disse Selassie durante uma palestra na Ordem dos Economistas. "É possível ter um Estado baseado no modelo escandinavo, mas para isso é necessário um setor exportador muito dinâmico. Esse é um debate necessário."

Numa palestra intitulada "A crise económica portuguesa: diagnósticos e soluções", o economista etíope disse que há "margem para reduzir as ineficiências no setor público".

Selassie mencionou os gastos com pensões, "entre os mais elevados na zona euro, cerca de 15% do PIB". No entanto, acrescentou, embora Portugal seja dos países que proporcionalmente mais gasta em pensões, também é dos que tem maior risco de pobreza entre idosos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG