Pilotos da TAP ameaçam voltar à greve

Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil considera que negociações com a TAP chegaram a um impasse. Estão agendados plenários para quarta e quinta-feira para decidir as medidas a tomar.

Os pilotos da TAP poderão agendar uma nova greve depois das negociações com a companhia aérea terem chegado a um impasse, segundo o Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil (SPAC). Foram marcadas duas Assembleias de Empresa - para quarta e quinta-feira - nos quais serão discutidos os processos negociais e decididas "todas as medidas necessárias e suficientes para sensibilizarem a TAP, PGA e Governo para a adoção de um comportamento responsável", como se lê no comunicado da SPAC.

O SPAC realça que a TAP e a PGA não cumpriram o que ficou "acordado anteriormente com o Governo" e salienta que "enviou uma comunicação escrita ao Secretário de Estado das Infraestruturas, Transportes e Comunicações, em 21 de Março", não tendo obtido resposta. Tentou ainda um contacto telefónico com o responsável, sem sucesso, "para o alertar sobre as graves consequências que estas posições da TAP podem implicar".

Em causa estão "dois pontos fundamentais", segundo o SPAC: a não reposição das cinco diuturnidades desde 2011 e o incumprimento do Acordo de 1999, acusando a TAP de se refugiar "em falsos argumentos e pretextos".

Recorde-se que no final do ano passado esteve agendada uma greve de 27 a 30 de dezembro. Foi decretada a requisição civil, mas a 24 de dezembro, nove dos 12 sindicatos chegaram a um acordo com o Governo, que levou à desconvocação da mesma.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG