Patrões à 'boleia' de Merkel querem cortar nas férias

Patronato aproveita declarações de Merkel para pedir regresso aos 22 dias úteis de férias, alegando que a assiduidade é um dever e como tal não faz sentdo ser premiada.

Os patrões portugueses estão a aproveitar as declarações da chanceler alemã (ver relacionado) para reclamarem o regresso aos 22 dias de férias em vez dos 25 actuais. As confederações da Indústria, Turismo, Agricultura e mesmo as do Comércio e da Construção consideram que manter "esse bónus" de três dias, "não faz sentido".

Do lado oposto, a CGTP acusa Angela Merkel de "postura de colonialismo" enquanto a UGT opta por a acusar de "profunda ignorância relativamente à realidade portuguesa".

Leia mais pormenores no e-paper do DN.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG