Passos Coelho espera acordo sobre reforço do fundo de resgate até final do mês

O primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, disse esperar que até final de março seja alcançado um acordo em torno do reforço do fundo de resgate europeu, uma vez ultrapassadas as reticências da Alemanha.

Falando em Bruxelas no final de uma cimeira europeia, Passos Coelho observou que a questão do reforço das "barreiras de proteção" (os chamados 'firewalls') da zona euro contra a crise da dívida "teve desenvolvimento na reunião do Eurogrupo que teve lugar (quinta-feira) antes deste Conselho Europeu e reafirmou-se que até final deste mês, como estava previsto, se venha a dar uma resposta a esse objetivo".

"Toda a gente sabe, nunca o escondi, que defendo que possa existir um reforço dessas garantias, e elas são desejadas praticamente por toda a gente", disse, apontando que "a Alemanha, na altura própria, notou que não estava ainda em condições de se comprometer com esse resultado", pelo que ainda não foi possível fechar um acordo sobre o reforço do futuro mecanismo permanente de resgate, através da sua fusão com o atual fundo europeu de estabilização financeira.

Passos Coelho lembrou, todavia, que a chanceler alemã, Angela Merkel, se comprometeu a tomar uma decisão até final do corrente mês, até porque necessita que o parlamento alemão se pronuncie, e comentou que "se a sua intenção não fosse tomar em boa consideração essa ideia, teria logo dito que não".

"A nossa expetativa é que esse resultado possa vir a ser alcançado (...) Julgo que os ministros das Finanças, ao longo do mês de março, não deixarão de voltar a esse assunto, e espero que com uma conclusão positiva", finalizou.

A decisão chegou a estar agendada para hoje, para uma cimeira de líderes da zona euro que estava marcada para depois de concluído o Conselho Europeu a 27, mas a falta de um acordo devido às reservas alemãs levou ao cancelamento da reunião dos 17 líderes do espaço monetário único.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG