Oferta termina hoje sem saber se espanhóis vendem posição

A Oferta lançada pela Tagus Holdings sobre as ações da Brisa, a 2,76 euros por ação, vai terminar hoje sem que a espanhola Abertis se tenha pronunciado se vende a sua participação de 15,01 por cento.

A Oferta Pública de Aquisição (OPA), que decorreu desde o dia 17 de julho até hoje foi lançada pela Tagus Holdings, uma sociedade domiciliada no Luxemburgo e detida a 55 por cento pela José de Mello Investimentos e a 45 por cento pela Arcus European Infrastructure Fund (AEIF Apollo).

O grupo Mello e a Arcus lançaram através da Tagus uma OPA sobre a Brisa no final do passado mês de março, oferecendo 2,66 euros por cada ação, sendo que em julho reviram o preço para 2,76 euros por título.

A espanhola Abertis ainda não tomou uma decisão quanto à OPA lançada sobre a concessionária de autoestradas e vai deixar para hoje o anúncio da decisão final, noticiou na terça-feira o diário digital Dinheiro Vivo.

Fonte oficial da Abertis afirmou que "não foi ainda tomada uma decisão quanto à oferta apresentada pelo Grupo Mello e pela Arcus", acrescentando que anunciaria a decisão final no dia 8 de agosto.

Os resultados da OPA serão conhecidos quinta-feira às 17h00 numa sessão especial de bolsa.

A Abertis, a terceira maior acionista da Brisa, afirmou em julho que o preço oferecido no âmbito da OPA "subvaloriza" o valor da concessionária de autoestradas, apesar de a Tagus ter aumentado o preço.

A José de Mello é a principal acionista da Brisa, detendo 30,48 por cento do capital e 33,09 por cento dos direitos de voto, enquanto a Arcus European Infrastructure Fund (AEIF Apollo) domina 19,09 por cento do capital e 20,72 por cento dos direitos de voto na empresa, sendo o segundo maior acionista.

A espanhola Abertis é o terceiro maior acionista da concessionária, com uma participação de 15,01 por cento no capital e com 16,29 por cento dos direitos de voto e, ao lote dos acionistas com participações qualificadas, juntam-se o fundo soberano da Noruega (Norges Bank), com 2,01 por cento do capital e 2,18 por cento dos direitos de voto, e o fundo de pensões dos trabalhadores do Estado de New Jersey (Estados Unidos da América).

Exclusivos