Novo orçamento a dois meses da retirada da 'troika'

O governo irlandês apresentou hoje um novo orçamento de austeridade, o sétimo consecutivo, dois meses antes da prevista saída do país do programa de assistência iniciado em 2010.

"Uma das funções principais deste orçamento é lançar as bases para uma saída com êxito do programa de assistência, no fim do ano", declarou o ministro das Finanças, Michael Noonan, ao apresentar o diploma na câmara baixa do Parlamento.

"Vamos reduzir o défice para 4,8% (do PIB) em 2014" contra os 7,6% em 2012 e cerca de 30% em 2010 e o país registará "um ligeiro excedente primário", afirmou o ministro, acrescentando que se pretende "demonstrar que a dívida pública está sob controlo".

Inicialmente, o défice fixado com a 'troika' de credores internacionais (União Europeia, Banco Central Europeu e Fundo Monetário Internacional) era de 5,1%. Em 2015, a Irlanda conta ter um défice da ordem dos 3%.

Este orçamento prevê poupar 2,5 mil milhões de euros com cortes na despesa e aumento de impostos e preconiza medidas destinadas a apoiar o crescimento. Noonan afirmou que o Governo não tenciona aumentar os 12,5% de imposto sobre as empresas, uma taxa que tem permitido a instalação de várias multinacionais na Irlanda.

Antes de entrar no Parlamento, o primeiro-ministro irlandês, Enda Kenny, sublinhou que o orçamento deve permitir "ao povo e ao país seguir em frente e ter um futuro diferente" ao sair do programa de assistência.

Kenny indicou no sábado que a Irlanda deverá sair do programa de resgate a 15 de dezembro, tornando-se o primeiro país da zona euro a consegui-lo.

A Irlanda chegou a acordo com a 'troika' em finais de 2010 para um programa de assistência financeira no valor de 85 mil milhões de euros, em três anos, em troca de um programa de austeridade destinado a equilibrar as suas contas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG