Ministros dos 27 recusaram primeira proposta

Os ministros das Pescas da União Europeia (UE), que estão hoje reunidos em Bruxelas, recusaram a primeira proposta de compromisso para tentar um acordo sobre os totais admissíveis de capturas para a União e respetivas quotas nacionais.

De acordo com a agência Efe, que cita fontes europeias, a proposta apresentada por Chipre, país que assume a presidência rotativa da UE, não gerou consenso.

A apresentação de uma primeira proposta de compromisso surgiu na sequência de reuniões trilaterais (Conselho, Comissão e Estado-membro), que começaram na terça-feira.

As discussões sobre os totais admissíveis de capturas para a UE e respetivas quotas nacionais duram, tradicionalmente, várias horas, e, tendo em conta que a primeira proposta não gerou acordo, poderão prolongar-se pela madrugada de quinta-feira.

A ministra da Agricultura, Assunção Cristas, que representa Portugal na reunião, disse na segunda-feira que Portugal vai tentar "melhorar um bocadinho" as quotas de pesca a que terá direito em 2013, referindo que se mantiver os valores conquistados no ano passado "já será muito positivo".

Assunção Cristas recordou, na altura, que nas anteriores negociações, há um ano, Portugal teve um aumento de 6% da sua quota, o que "foi positivo", pelo que para 2013 não poderá aspirar a muito mais.

Portugal poderá ver aumentada, no próximo ano, a sua quota de pesca de tamboril e verdinho, uma vez que os pareceres científicos apontam para melhorias nos 'stocks' destas espécies.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG