Manuel Frexes admite deixar Câmara do Fundão

O presidente da Câmara do Fundão, Manuel Frexes (PSD), admitiu hoje à Lusa que deverá abandonar a autarquia para aceitar o convite para o cargo de administrador da empresa pública Águas de Portugal (AdP).

O autarca disse aguardar pela formalização de todo o processo "na próxima assembleia-geral da AdP, que ainda não tem data marcada" e adiantou que aceitou o convite.

Enquanto autarca, o social-democrata tem sido muito crítico em relação aos sistemas multimunicipais geridos pela Adp, questionando tarifas e opções financeiras da Águas do Zêzere e Côa (AZC), de que o município do Fundão faz parte.

A pouco tempo de mudar de campo, Manuel Frexes afirmou à Lusa que acredita ter "a experiência e o conhecimento das situações para resolver esse difícil dossiê entre municípios e AdP".

O presidente da Câmara do Fundão adiantou também que se prepara para deixar o cargo que "mais alegria" lhe deu na vida política em que também foi deputado e membro do governo.

Seja como for, a lei impunha que este seria o seu último mandato, pelo que disse ser altura "de aceitar novos desafios", referindo que "a Câmara do Fundão fica muito bem entregue".

Paulo Fernandes, até aqui vice-presidente da autarquia, deverá assumir a presidência do município.

Ao mesmo tempo, Manuel Frexes deverá deixar a presidência dos Autarcas Social-Democratas (ASD), a Comissão Política Nacional do PSD (onde tinha assento por inerência), assim como o lugar que ocupava no Comité das Regiões.

O Governo anunciou hoje que está fechada a equipa de administradores da empresa Águas de Portugal (AdP) com a entrada de dois autarcas, um financeiro do Citigroup e o presidente da Águas de Aveiro.

Os quatro elementos juntam-se a Afonso Lobato de Faria que já tinha sido anunciado no início de dezembro como novo presidente da empresa pública.

Além de Manuel Frexes, integra a equipa Álvaro Castello-Branco (CDS-PP), atual vice-presidente da Câmara do Porto e presidente da empresa municipal de águas.

A Lusa tentou obter uma reação de Álvaro Castello-Branco mas até ao momento não foi possível.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG