Mais de um milhão no mercado livre da eletricidade

O número de consumidores de eletricidade no mercado livre ultrapassou, pela primeira vez, um milhão, segundo dados de dezembro do regulador da energia publicados hoje.

A Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) salienta no seu relatório mensal do mercado liberalizado de eletricidade o facto de, no final do ano de 2012 "e em termos absolutos, o número acumulado de clientes em atividade no mercado livre ter ultrapassado um milhão (1.063.883 clientes)", sendo que o crescimento líquido "foi em dezembro de cerca de 185 mil clientes, o maior verificado até à data".

Ou seja, durante dezembro passado, mudaram para o mercado livre de eletricidade cerca de 6 mil famílias por dia.

Segundo o relatório da ERSE, o número de clientes no mercado livre cresceu em dezembro cerca de 21%, depois do crescimento de 9,6% registado em novembro, salientando que, desde dezembro de 2011, que o número de consumidores "quase triplicou".

O regulador refere que se registou "uma aceleração das migrações para o regime de mercado desde o início de 2012 e em especial no último semestre, salientando-se este último mês cujo aumento da migração para o mercado liberalizado foi o maior até agora registado".

No que respeita ao consumo anualizado do mercado livre, registou-se um crescimento de cerca de 2,4% face ao mês anterior, sendo que, em dezembro, o consumo no mercado livre registou uma variação face ao mesmo mês de 2011 de cerca de 16,5%.

Em termos globais, o mercado liberalizado "representa já 60% do consumo total", aumentando em 11 pontos percentuais face a dezembro de 2011 no seu peso relativo em termos de consumo abastecido, indica a ERSE.

Enquanto a quase totalidade dos consumos de grandes consumidores (97% do total) está já no mercado livre, o consumo das famílias em mercado livre "é ainda de cerca de 17% do total do segmento, com um crescimento muito visível nos últimos meses", observa o regulador.

A adesão dos consumidores domésticos ao mercado livre decorre do acordo entre a 'troika' (Fundo Monetário Internacionl, Comissão Europeia e Banco Central Europeu) e o Governo para extinguir as tarifas reguladas até 31 de dezembro de 2012.

A partir de 1 de janeiro deste ano passaram a vigorar tarifas transitórias para os pequenos consumidores que serão revistas de três em três meses até 31 de dezembro de 2015 pela ERSE.

Segundo o regulador, o último impulso de extinção das tarifas reguladas envolve mais de 5 milhões de consumidores, os quais representam cerca de 57% do consumo global do conjunto de consumidores para os quais ainda existia tarifa regulada.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG