Lucro da Sonae aumentou 79% para 168 milhões de euros

O lucro da Sonae aumentou 79 por cento, em 2010, para 168 milhões de euros, impulsionado pela actividade retalhista, anunciou hoje a empresa liderada por Paulo Azevedo.

Em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a Sonae anunciou um aumento de cinco por cento do volume de negócios, para os 5,8 mil milhões de euros, com ganhos de quota de mercado no retalho. Durante a apresentação do relatório de contas relativo a 2010, o presidente da Sonae realçou que 2010 foi um "um ano de especial orgulho" pela performance do grupo.

Segundo salientou, estes resultados foram obtidos "enquanto se esteve a investir fortemente na implementação das medidas necessárias ao crescimento do grupo" em três eixos fundamentais: crescimento internacional, diversificação do estilo de investimento e alavancagem e reforço da base de activos e competências chave.

Paulo Azevedo realçou que "a Sonae conseguiu fazer estas três coisas com aumento do retorno do capital próprio, com rentabilidade e redução da nossa dívida, que caiu sete por cento para 2.852 milhões de euros, cumprindo o nosso objectivo de redução gradual em termos absolutos"."E fizemos tudo isto, tomando muito bem conta dos nossos 'stakeholders'", acrescentou.

No mesmo período, a rentabilidade continuou a aumentar, com o EBITDA recorrente a subir nove por cento, para os 690 milhões de euros, alcançando uma margem das vendas de 12 por cento. O resultado líquido directo (atribuível aos accionistas) aumentou 13 por cento para os 192 milhões de euros, informa a empresa. Em 2010, "o grupo Sonae diminuiu a dívida líquida em sete por cento, em 228 milhões de euros face ao final de 2009". No último ano, o grupo liderado por Paulo Azevedo criou 3.454 postos de trabalho, dos quais 2.510 em Portugal, para responder à abertura de novas lojas e das grandes superfícies ao domingo.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG