Juncker surpreendido por movimento 'Que se lixe a troika'

O antigo presidente do eurogrupo, Jean-Claude Juncker, foi hoje surpreendido no Porto por uma dezena de manifestantes do movimento "Que se lixe a troika" a quem se dirigiu para responder a algumas questões sobre a atual situação na Europa.

"Porque é que o banco central europeu lucra milhões de euros com a crise?" questionou um dos manifestantes ao primeiro-ministro do Luxemburgo que logo respondeu: "O banco central está prestes a salvar Portugal porque sem o ele Portugal estaria numa situação bem pior que esta em que se encontra".

Juncker acrescentou que "a política de Bruxelas e o BCE são coisas diferentes", explicando que "não há uma verdadeira política económica europeia porque todos os estados membros aplicam a sua própria política".

" O que é um erro", considerou o ex-presidente do Eurogrupo para quem "se deveriam coordenar as diferentes políticas económicas dos estados membros".

Os manifestantes do movimento decidiram hoje protestar frente à reitoria da Universidade do Porto no final da cerimónia de atribuição de doutoramento "Honoris Causa" a Jean-Claude Juncker.

"Juncker é o inventor da ?troika' e, se nós estamos contra a ?troika', quem melhor do que ele para nós expressarmos o nosso desagrado com a invenção com que ele nos banqueteou", explicou João Vilela, um dos representantes do movimento.

Para o porta-voz "a "troika' não está a financiar Portugal, a "troika' deu dinheiro ao Estado português a juros completamente usurários com o objetivo de viver à custa do esbulho dos trabalhadores portugueses".

O movimento garantiu ainda que "a luta continuará até expulsão da "troika' e derrube deste governo ou qualquer um que tenha a intenção de aplicar o memorando"

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG