Investidores atentos a decisão do BCE sobre taxa de juro

A reunião do Banco Central Europeu (BCE) de quinta-feira, em que deverá ser decidido manter a taxa de juro diretora na zona euro inalterada nos 0,5%, estará no centro das atenções dos investidores na próxima semana.

De acordo com a análise feita à Lusa pelo analista de mercados do Millennium Investment Banking, Ramiro Loureiro, na quainta-feira o BCE e o Banco de Inglaterra deverão "agir sem surpresas e manter a taxa de juro diretora inalterada nos 0,5% em ambos os casos".

No entanto, "as atenções estarão voltadas para os discursos de Mervyn King e de Mario Draghi para se perceber quais os planos de estímulo económico dos bancos centrais", destaca o analista.

A marcar a semana estará também a divulgação, na segunda-feira, do valor final índice do PMI Indústria que "deve confirmar o abrandamento no ritmo de queda da atividade transformadora na zona euro em maio (passando de 46,7 para 47,8), expandindo-se no Reino Unido pela primeira vez nos últimos quatro meses".

Nos EUA será divulgado o indicador homólogo ISM, que deve sinalizar "um ligeiro abrandamento do ritmo de expansão no último mês (descendo de 50,7 para 50,5)".

O Índice de Preços no Produtor da zona euro (que deverá subir 0,2% em abril), as vendas comparáveis no Reino Unido (subida homóloga de 1,3% em maio) e o PMI Construção (subida de 49,4 para 49,8 em maio), serão conhecidos na terça-feira, a par de dados sobre a balança comercial norte-americana que deverá apresentar um défice de 41 mil milhões de dólares em abril, antecipa Ramiro Loureiro.

Destaque também para o valor final do PIB de Portugal que será conhecido na quarta-feira e deverá registar uma queda de 0,3% no 1º trimestre, com contração homóloga de 3,9%, estima o analista.

No mesmo dia, será igualmente divulgado o índice PMI Serviços (valor final deve confirmar melhoria de 47 para 47,5 em maio), o valor preliminar do PIB da região no primeiro trimestre (estimada quebra sequencial de 0,2% e homóloga de 1%) e vendas a retalho.

No Reino Unido "estima-se que o PMI Serviços sinalize a aceleração do ritmo de crescimento da atividade terciária em maio, passando de 52,9 para 53,1", segundo Ramiro Loureiro.

A fechar a semana, na sexta-feira ficará a conhecer-se o saldo da Balança Comercial portuguesa em abril e o da alemã (estimado 'superavit' de 17 mil milhões de euros, com crescimento de 0,5% nas importações germânicas e de 0,1% nas exportações).

Antecipa-se que a Produção Industrial da Alemanha tenha estagnado em abril face ao mês anterior, registando uma queda homóloga de 0,7%.

Espera-se ainda que a economia norte-americana tenha gerado 165 mil postos de trabalho em maio (excluindo o setor primário) e que a taxa de desemprego tenha permanecido nos 7,5%, com o crédito ao consumo a aumentar 14 mil milhões de dólares em abril (10,7 mil milhões de euros).

No mercado de obrigações, França realiza na segunda-feira leilões de curto prazo para se financiar em 7,8 mil milhões de euros.

Na terça-feira, a Alemanha lança uma emissão de obrigações com maturidade em 2018 (montante indicativo de 4 mil milhões de euros) e, na quinta-feira, Espanha e França fazem leilões de títulos de dívida de longo prazo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG