UGT exige medidas de criação de emprego

O secretário-geral da UGT, Carlos Silva, instou hoje o Governo a analisar os documentos que estão em cima da mesa na Concertação Social por forma a promover, o quanto antes, medidas que criem emprego.

"É preciso dizer ao Governo que é fundamental que os documentos que neste momento estão para análise em Concertação Social têm, efetivamente, de ser compilados de forma a promover medidas para o crescimento e o emprego", afirmou Carlos Silva, numa reação aos números do desemprego hoje divulgados.

Em declarações aos jornalistas no final de um encontro com o secretário-geral da CGTP, o dirigente sindical relembrou que o Documento de Estratégia Orçamental (DEO) apresentado na passada semana pelo Governo prevê uma taxa de desemprego de 17,6% em 2017.

"Ora, estamos praticamente iguais aos dados hoje conhecidos e não queremos que isso aconteça", acentuou Carlos Silva, que disse ainda esperar que a proposta do Executivo para reduzir o número de funcionários públicos através de um processo de rescisões amigáveis não seja "uma forma de despedimento encapotado".

A taxa de desemprego subiu em Portugal para os 17,7% no primeiro trimestre, face aos 16,9% observados no trimestre anterior, com o número de desempregados em Portugal a ultrapassar os 950 mil, divulgou hoje o INE.

Segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE), a taxa de desemprego aumentou, assim, em termos trimestrais 0,8 pontos percentuais e 2,8 pontos percentuais face ao período homólogo.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.

Premium

Diário de Notícias

A ditadura em Espanha

A manchete deste dia 19 de setembro de 1923 fazia-se de notícias do país vizinho: a ditadura em Espanha. "Primo de Rivera propõe-se governar três meses", noticiava o DN, acrescentando que, "findo esse prazo, verá se a opinião pública o anima a organizar ministério constitucional". Explicava este jornal então que "o partido conservador condena o movimento e protesta contra as acusações que lhe são feitas pelo ditador".