Saxo Bank prevê segundo resgate dentro 6 meses

O Governo português poderá cair nas próximas 48 horas e é de esperar que Portugal possa pedir um segundo resgate nos próximos seis meses, afirmou hoje o economista-chefe do banco dinamarquês Saxo Bank.

"A coligação governamental portuguesa [constituída pelo PSD e CDS-PP] está a desfazer-se. É de esperar que o Governo português possa cair nas próximas 48 horas, havendo a convocação de novas eleições", disse Steen Jakobsen, em nota enviada aos mercados.

"Portugal poderá pedir um segundo resgate nos próximos seis meses", adianta a nota do economista-chefe do Saxo Bank.

Além disso, Jakobsen refere que os juros da dívida portuguesa nos 8% são "insustentáveis".

O primeiro-ministro, Passos Coelho, fez uma declaração ao país na terça-feira à noite após a demissão de Paulo Portas de ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros.

Pedro Passos Coelho frisou que não se demitiria do cargo de primeiro-ministro, manifestou-se surpreendido com o pedido de demissão do ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, Paulo Portas, e adiantou que iria procurar com o CDS, parceiro da coligação governamental, garantir as condições de estabilidade do executivo.

Os juros da dívida soberana de Portugal estavam hoje a subir acentuadamente em todos os prazos, estando o prazo de 10 anos a ser transacionado a 8,002%, depois de terem fechado na terça-feira a 6,720%.

A dois e cinco anos, os juros da dívida soberana portuguesa estavam a transacionar-se a 4,434% e a 6,816%, contra respetivamente 3,504% e 5,508% no fecho de terça-feira.