Portugal regressa hoje aos mercados com duas emissões

Portugal regressa hoje aos mercados, com duas emissões de Bilhetes do Tesouro a 6 e 18 meses num montante até 1.500 milhões de euros, um dia depois de Espanha ter pago os juros mais caros desde fevereiro.

O IGCP, a agência que gere a dívida pública portuguesa, vai realizar dois leilões de Bilhetes do Tesouro a curto prazo, que vencem a 20 de dezembro deste ano (6 meses) e a 19 de dezembro de 2014 (18 meses), num montante indicativo que oscila entre os 1.250 milhões de euros e os 1.500 milhões de euros.

Na terça-feira, a pressão crescente nos mercados secundários da dívida fez-se sentir no leilão de letras do Tesouro Público espanhol, que colocou 5.038 milhões de euros aos juros mais elevados desde fevereiro. O Tesouro espanhol adjudicou 1.087,46 milhões de euros a seis meses com um juro médio de 0,85% (tinha pago 0,5% no leilão equivalente anterior) e colocou ainda 3.951,45 milhões de euros a um ano com um juro médio de 1,423%, acima dos 1,015% pagos no leilão equivalente em maio.

A última vez que Portugal emitiu títulos de dívida foi a 15 de maio, quando o Tesouro português colocou mais 1.750 milhões de euros em Bilhetes do Tesouro, a totalidade do montante pretendido, garantindo um juro mais baixo na maturidade a 12 meses. No mesmo dia, o presidente do IGCP, João Moreira Rato, disse no parlamento que falta preencher necessidades de financiamento para 2014 no valor de 9 mil milhões de euros, de um total de 20,9 mil milhões. Falando durante uma audição parlamentar, o responsável confirmou que as necessidades de financiamento de Portugal para 2013 estão asseguradas e que, em termos de tesouraria, Portugal se encontra numa situação "confortável".